Data: 11/01/2021 09:34 / Autor: Redação / Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria

Verão, crianças e pandemia: 12 cuidados para adotar no período

Estação preferida da garotada, o verão traz dúvida aos pais e atenção redobrada com a saúde e a segurança


Crédito: freepik

Férias, calor, alegria e diversão. Todos esses substantivos são sinônimos do verão, estação que costuma ser a preferida da garotada em todo o país.

O período, no entanto, é repleto de perigos que demandam atenção redobrada de pais e cuidadores, como riscos de afogamento, queimadura solar, desidratação, infecção gastrointestinal, micoses de pele e outros.

Dr. Paulo Telles, pediatra pela Sociedade Brasileira de Pediatria, lembra ainda que neste ano cheio de desafios por conta da COVID-19, as crianças estão ansiosas e precisando de espaço e liberdade.

"E por isso vale ressaltar mais uma vez: não se esqueçam dos cuidados que ainda devem ser tomados pela pandemia, como evitar aglomerações, uso de máscara em espaços públicos e higiene frequente das mãos. Prefira sempre lugares abertos e ventilados, como parques, praças e praias", destaca o médico.

Para manter as crianças seguras o pediatra pede que pais e cuidadores fiquem atentos às seguintes dicas:

- Risco de afogamento. Crianças na piscina e mar devem sempre estar assistidas, usando boias e coletes adequados para a idade e tamanho, caso não saibam nadar. "Mas fique de olho o tempo todo, cuidado com distrações como o celular e bebidas alcoólicas!"

- Atenção ao excesso de sol, que pode causar insolação, além dos riscos das queimaduras solares em médio e longo prazos.

- Use muito protetor solar: "FPS 50 ou mais e repasse sempre que a criança for na água ou suar muito e/ou a cada 3 horas. Evite exposição nos horários de maior risco, entre 10h e 16h, em que o sol está mais forte. Chapéus e roupas com proteção UV são sempre bem-vindos", ensina o médico.

- Cuidado com as picadas de inseto, especialmente nas regiões endêmicas, em que insetos transmitem doenças graves. Dr. Paulo recomenda o uso de maneira adequada do repelente, conforme instruções do produto e idade da criança, e sempre por cima do protetor solar quando for usar ambos.

- Atenção à desidratação! "Cabe aos pais, de maneira ativa, insistir para que as crianças tomem muita água ao longo do dia de diversão."

- Fiquem atentos à alimentação: prefira alimentos mais leves, como frutas, legumes e grelhados e evite frituras e comidas prontas na praia e parques. Lave sempre as mãos antes das refeições porque as viroses intestinais e intoxicações alimentares também são mais comuns no verão.

- Os acidentes em parquinhos aumentam no verão: cuidado com escaladas, escorregadores e brinquedos altos.

- Se for pegar barcos e embarcações, deixem as crianças sempre com colete salva-vidas.

- Ao usar bicicleta, patins, skate e patinete, lembre-se sempre de usar equipamentos de proteção de maneira adequada, como capacete, joelheira e cotoveleira.

- As infeções fúngicas de pele aumentam muito no calor. "Prefira calçados ventilados e troque as roupas úmidas com mais frequência. Dê preferência a roupas leves e claras", ensina Dr. Paulo.

- Mesmo nas férias, atenção ao sono e descanso adequados dos pequenos, porque de manhã precisam estar com as baterias recarregadas para mais um dia de diversão.

- Faça sempre a revisão do carro antes de viajar, descanse antes de dirigir e use sempre cadeiras de transporte adequados para cada faixa etária.

"Às vezes, medidas simples, como trocar o tênis pelo chinelo, passar repelente e protetor solar podem fazer toda a diferença na saúde e no bem-estar da criança e na tranquilidade e no descanso de pais e cuidadores", conclui o pediatra.

Dr. Paulo Nardy Telles é formado pela Faculdade de medicina do ABC, Residência médica em pediatra e neonatologia pela Faculdade de medicina da USP; Preceptoria em Neonatologia pelo hospital Universitário da USP; Título de Especialista em Pediatria pela SBP; Título de Especialista em Neonatologia pela SBP; Atuou como Pediatra e Neonatologista no hospital israelita Albert Einstein 2008-2012; 18 anos atuando em sua clínica particular de pediatria, puericultura

Comente aqui