Data: 12/10/2021 07:25 / Autor: Kreitlon Pereira / Fonte: Via Streaming

Via Streaming - Dica da Semana: “Round 6”

O sucesso sul-coreano da Netflix fala sobre pessoas falidas que participam de jogos infantis mortais na tentativa de ganharem um grande prêmio em dinheiro


A indústria cinematográfica sul-coreana tem ganhado maior visibilidade na comunidade internacional, tendo como um grande marco de reconhecimento a vitória de “Parasita” na categoria de Melhor Filme no Oscar de 2020. Sendo assim, quando a Netflix estreouRound 6”, no dia 17 de setembro, a produção estava cercada de boas expectativas, apesar de ainda existir um grande preconceito que assombra as produções não hollywoodianas. Porém, nada impediu “Round 6” de se tornar um verdadeiro sucesso internacional. Com a maior estreia da Netflix, a série agradou tanto os espectadores que rapidamente ficou em primeiro lugar no ranking de 90 países.

Criada por Hwang, “Round 6” fala sobre um jogo misterioso que envolve 456 pessoas que estão muito endividadas. Confinadas, todas elas precisam participar de uma série de brincadeiras infantis - como batata quente, cabo de guerra etc - para se manterem na disputa pelo grande prêmio de 45,6 bilhões de wons (equivalente a R$ 208,5 milhões). Porém, o resultado das disputas pode ser fatal, já que quem perde é morto na hora. Apesar de essa ser a premissa central, a série também irá abordar diversos outros assuntos, como a corrupção que acontece nos jogos - que envolve até tráfico de órgãos -, discriminação, embates de classes sociais e a espetacularização do desespero alheio.

Mesmo com todo o reconhecimento, a produção da Netflix gerou grande polêmica pois a violência explícita e os temas sensíveis que aborda levantam uma preocupação para os pais de que as crianças estejam tendo acesso a esse tipo de conteúdo. Tal situação desencadeou até em uma tentativa de boicotar a produção. Ao mesmo tempo em que tais considerações são relevantes, é importante lembrar que a série foi classificada no Brasil para maiores de 16 anos e que a própria plataforma possui mecanismos para que tal controle por parte dos pais seja exercido. 

Crédito: Divulgação

Comente aqui