Data: 24/10/2020 09:59 / Autor: Izabel Rufino / Fonte: Estadão Conteúdo

Vermífugo consegue reduzir sintomas, mas não evita complicações da covid-19

Nitazoxanida apresentou vantagens depois de sete dias de uso. Entretanto, resultados foram apresentados em plataforma de artigos que não foram publicados em revistas científicas


Resultados foram divulgados dias após apresentação utilizando gráfico tirado de um banco de imagem
Resultados foram divulgados dias após apresentação utilizando gráfico tirado de um banco de imagem

Crédito: Reprodução

Na última segunda-feira foi feita uma apresentação dos resultados parciais do uso do vermífugo nitazoxanida no tratamento da covid-19, realizada em cerimônia no Palácio do Planalto, utilizando um gráfico de barras tirado de um banco de imagem. Na ocasião, o ministro Marcos Pontes justificou que o estudo completo não foi apresentado, pois os dados precisavam ser inéditos para a publicação em periódico científico.

Pois bem, os resultados foram publicados na última sexta-feira (23), na plataforma medRxiv, esta que reúne artigos na versão pré-print, ou seja, aqueles que não foram publicados em revistas científicas e nem passaram por revisão de outros pesquisadores. Dessa forma, um total de 392 pacientes participaram do estudo, sendo que 194 tomaram nitazoxanida por cinco dias e 198 receberam placebo.

Tendo em vista os números, é importante salientar que apenas participaram da pesquisa os pacientes com quadros leves, ainda nos dias iniciais de sintomas. Então, após os tratamentos citados, o total de pacientes que apresentavam sintomas era similar nos dois grupos, ou seja, a administração da droga não faz diferença. Esse, no entanto, foi o chamado ‘desfecho primário’.

Na continuação dos tratamentos, ou chamado de ‘desfecho secundário’, 78% dos pacientes que tomaram nitazoxanida relataram completa melhora nos sintomas, o mesmo desfecho aconteceu para 57% do grupo do placebo. Além disso, o medicamento também foi eficaz no índice de pacientes que apresentaram o exame PCR negativo após sete dias, registrando um total de 29,9%.

Porém, mesmo com alguns resultados positivos, o remédio não foi capaz de diminuir a taxa de hospitalizações pela doença. No total, 10 pessoas foram internadas, sendo cinco de cada grupo do estudo, porém, infelizmente, dois dos pacientes fazendo uso da nitazoxanida tiveram que ser transferidos para a UTI.

Então, com todos os resultados apresentados, foi possível observar que o vermífugo não é eficaz na resolução dos sintomas da covid-19 ao fim dos cinco dias de tratamento, bem como não é capaz de evitar complicações decorrentes da doença. Em contrapartida, apresentou benefício na resolução dos sintomas após sete dias de uso.

Comente aqui