Data: 21/01/2022 16:59 / Autor: Redação / Fonte: PMD

Diadema vacinará crianças a partir de 6 contra Covid a partir de segunda-feira

Até 21 de janeiro, Diadema vacinou crianças de 9 a 11 anos sem comorbidades e de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiência permanente, indígenas ou quilombolas.


Crédito: Adriana Horvath

A partir da próxima segunda-feira (24/01), Diadema dará início à aplicação do imunizante contra Covid-19 em crianças a partir de 6 anos de idade, sem comorbidades. A ampliação da faixa etária foi possível graças ao estoque do município com doses suficientes das vacinas Pfizer e Coronavac, autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

“As crianças merecem toda a atenção das nossas unidades e estamos preparadas para recebê-las na próxima semana e avançar com a campanha de vacinação no município para garantir proteção para esse público também”, afirmou Maria Luiza Malatesta, coordenadora da Atenção Básica de Diadema.

Para receber a vacina, pais ou responsáveis devem levar a criança na Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência, das 8h30 às 16h, munidos de CPF, documento pessoal com foto ou certidão de nascimento, comprovante de endereço de Diadema e caderneta de vacinação de rotina. No caso das crianças com comorbidades, é necessária documentação que comprove a condição clínica, como exames, laudos, receitas, relatórios ou prescrição médica. Para agilizar a vacinação, a Secretaria Municipal de Saúde recomenda que os pais façam o pré-cadastro no site Vacina Já (www.vacinaja.sp.gov.br).

Protegidos

Quem já recebeu a primeira dose da vacina aprovou. Nesta sexta-feira (21/01), foi a vez dos moradores com 9 e 10 anos se vacinarem. Na UBS Centro, Samuel Sotero foi com o pai Severino Sotero Oliveira para garantir a dose. “Se tem vacina, tem que tomar. É importante e a gente como pai fica mais tranquilo”.

Ivani Galdino, mãe de Daisa Galdino Mamedio de 10 anos, concorda.  “A gente fica muito ansiosa, não via a hora de chegar (a vacina) para ela. Eu e meu esposo já tomamos a terceira dose, só faltava ela”.

Thiago Junior Rodrigues de Oliveira, de 9 anos, foi uma das primeiras crianças dessa faixa etária a ser imunizada, já que poucos municípios anteciparam a imunização para esse público.  Corajoso, o pequeno incentivou outras crianças. “Não doeu nada, pode vir tomar a vacina”.  Já a mãe Joelma Rodrigues Dias não vê a hora da vacinação avançar ainda mais. “Quanto mais rápido andar, mais protegido vamos estar. Estou ansiosa para a vacinação chegar para os menores, tenho uma bebê de sete meses que gostaria que ela pudesse tomar. Mas sei que ainda vai demorar um pouco (a vacinação no Brasil só está liberada pela Anvisa para o público, sem comorbidades, até 6 anos).”

Já na UBS Promissão, às vésperas de completar 11 anos, Deivid Pocci de Oliveira recebeu o presente que tanta aguardava: a primeira dose contra a Covid-19. “Não dói. Agora estou mais feliz. Estava ansioso para tomar a vacina”. A mãe Rita Pocci de Oliveira acompanhou de perto o momento e celebrou o fato dela também ter sido imunizada no mesmo dia. “Hoje tomei a minha terceira dose”. 

Para estar protegido é importante completar o ciclo vacinal com duas doses. Lembrando que a Pfizer pediátrica tem intervalo entre as duas injeções de oito semanas e a Coronavac, de 28 dias.

Está previsto no dia 29 de janeiro, sábado, um mutirão para vacinação infantil. Os detalhes e as Unidades que estarão abertas serão divulgados na próxima semana.

Vacinação

Até o momento, foram aplicadas 758.350 vacinas no total, sendo a primeira dose em 338.709 pessoas, a segunda dose em 304.544 pessoas, a terceira dose em 104.043 pessoas, a dose única em 10.239 pessoas e 815 doses pediátricas.

A vacinação para adultos e adolescentes entre 12 e 17 anos continua e a dose é disponibilizada em nove postos de vacinação.

Comente aqui