Data: 07/01/2021 15:13 / Autor: Redação / Fonte: PMETRP

Ribeirão Pires reforça combate à hanseníase no Janeiro Roxo

Secretaria de Saúde da Prefeitura intensifica orientações sobre diagnóstico e tratamento para o combate à doença


Crédito: PMETRP

A Secretaria de Saúde de Ribeirão Pires promove neste mês a campanha Janeiro Roxo, que reforça ações de prevenção e combate à hanseníase. Neste período, as equipes estão intensificando as orientações aos moradores na Atenção Básica (UBSs e USFs) e no Serviço de Atenção Especializada (SAE - Avenida Francisco Monteiro, 205 - Centro). O diagnóstico e tratamento da doença, que tem cura, são oferecidos gratuitamente pela Prefeitura nessas unidades - atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

O objetivo da campanha é mobilizar a população para o controle da hanseníase, por meio do diagnóstico precoce e do esclarecimento de dúvidas para diminuir o estigma e a discriminação. A ação ganha ainda mais evidência em 31 de janeiro, Dia Mundial/Nacional de Combate à doença.

O que é a hanseníase? É uma doença infecciosa e contagiosa que  causa manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele. A pele também pode ter alteração da sensibilidade e o paciente não sente (ou tem sensibilidade diminuída) calor, frio, dor e mesmo o toque. É comum ter sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades (pés, mãos) e em algumas áreas pode haver diminuição do suor e de pelos. O paciente pode ter dificuldades para segurar objetos, pode queimar-se e não sentir ou, por exemplo, perder os chinelos sem perceber. A doença pode provocar o surgimento de caroços e placas em qualquer local do corpo e diminuição da força muscular.

O tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas é longo. Pode variar entre 2 a 10 anos. A hanseníase pode causar deformidades físicas que podem ser evitadas com o diagnóstico e tratamento precoce.    

Como é transmitida?  Ela é transmitida por meio das vias respiratórias: tosse e espirro.

Como é feito o diagnóstico?  A doença pode ser diagnosticada em uma consulta médica em consultório ou ambulatório. O médico analisa lesões na pele com manchas (partes da pele podem não ter sensibilidade) e alterações neurológicas específicas (dormências e formigamentos). E todas as pessoas que convivem ou conviveram com o paciente de hanseníase devem ser examinadas. Os médicos especializados em hanseníase podem diagnosticar a doença apenas no exame clínico. Mas podem solicitar o exame dermatológico e neurológico.

Como é o tratamento? O tratamento da hanseníase é simples. Em qualquer estágio da doença, o paciente recebe gratuitamente os medicamentos para ingestão via oral – os medicamentos destroem os bacilos. O tratamento leva de 6 meses a 1 ano. Se seguir o tratamento cuidadosamente, o paciente recebe alta por cura.

Hanseníase tem cura. Quanto mais cedo o tratamento, menores são as agressões aos nervos e é possível evitar complicações. O paciente que inicia o tratamento não transmite a doença a familiares, amigos, colegas de trabalho ou escola.

Comente aqui