Data: 22/10/2020 17:47 / Autor: Redação / Fonte: ABCdoABC

Eleições Municipais 2020: Santo André - Entrevista com Ailton Lima

Candidato do PSB à Prefeitura de Santo André, o ex-vereador Ailton Lima, foi entrevistado pelo portal ABCdoABC. Assista ao vídeo


Crédito: Odair Jr. / ABCdoABC

As Eleições Municipais 2020 estão cada vez mais próximas, dessa forma, muitos candidatos estão em busca de uma oportunidade nos cargos políticos para prefeito, vice e vereador ou, até mesmo, de uma reeleição. Importante salientar, ainda, que o primeiro turno será realizado no dia 15 de novembro, enquanto o segundo está marcado para 29 de novembro.

Como forma de saber mais sobre os candidatos, o portal ABCdoABC traz uma série de entrevistas exclusivas. Desta vez, o convidado foi o ex-vereador de Santo André, Ailton Lima, que está concorrendo à prefeitura. Confira o resumo das respostas do candidato:

Qual sua avaliação da atual gestão da Prefeitura em sua cidade?

Graças a Deus que está no fim. É uma gestão que apostou na enganação, na falsa propaganda e criou uma fantasia, um mundo de ilusão. Eu fiz parte desse governo por 14 meses, tentei, me esforcei muito, consegui, junto à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, trazer grandes conquistas, marcas que o atual prefeito têm utilizado até agora. Pena que não tem dado crédito a quem realmente o fez.

Quais as principais dificuldades nesses quatro anos?

A maior dificuldade que eu vejo continua sendo um prefeito que apostou em não fazer a gestão da cidade, não gerar economia dentro do próprio orçamento e começou a pegar algumas portas de escape. No primeiro ano, quem não lembra do fechamento de oito Unidades de Saúde? Pra gerar economia às custas da saúde da população, que fez falta agora no período de pandemia. As pessoas não foram tratadas, chegaram nesse período de pandemia muito mais frágeis, com menos resistência, adoeceram e infelizmente morreram. Santo André é a campeã aqui na nossa região em número de mortes. Uma outra dificuldade, o prefeito aumentou de forma vergonhosa o IPTU na nossa cidade, o que já tinha sido feito antes pelo PT, e ele está insistindo nesse mesmo modelo. Logo no primeiro ano, colocou um IPTU sem medida, foi obrigado a reduzir por conta de pressão popular, depois cancelou, teve que reimprimir os carnês, teve um gasto violento, dinheiro público sendo desperdiçado, mas não revogou a lei, ela continua valendo. E aí ele apostou naquilo que todo mal gestor faz: foi tomar dinheiro emprestado para fazer alguns embelezamentos, que não vão resolver nossa vida, é importante fazer uma manutenção da cidade, mas tem que ser feito da forma certa, com custo certo, pagando apenas aquilo que se merece e com dinheiro próprio. Ele endividou a cidade e além de não pagar 320 milhões, que o outro prefeito deixou de dívida, ele endividou a cidade em quase 1 bilhão. Esse é o resultado de um governo desastroso.

O que a cidade mais precisa?

Nós visitamos muito a cidade. Estamos vindo de uma caminhada que fizemos no Centro Comercial, uma região bem carente de serviços públicos, que é o segundo subdistrito, a “Terra dos Esquecidos”, o Centro Comercial do Capuava. Tem gente ali clamando por socorro. Os comércios falidos, as pessoas em dificuldades, gente pagando conta de água sem utilizar. Santo André já perdeu muito com a saída das indústrias, e hoje o segundo setor, que é o comércio, infelizmente estão querendo quebrar, fechando de forma desordenada, causando um isolamento que isolou as pessoas de seus ganhos, porque se fosse pensar em saúde teria aumentado a quantidade de ônibus, aumentado o expediente de abertura dos shoppings, pra não ter aglomeração.

Por que pretende ser prefeito e quais as suas propostas

A proposta é fazer uma saúde diferente do que tem sido apostado. O orçamento total da cidade é por volta de quatro bilhões, é muito dinheiro. 25% disso tem se destinado à área de saúde. E as pessoas estão aguardando especialista durante seis meses a um ano, tem gente na fila esperando um exame há mais de dois anos, fechou os postos de saúde. Não dá pra admitir, em uma cidade rica como a nossa, uma saúde feita apenas para ganhar dinheiro e não pra cuidar das pessoas.

Outra coisa que temos de importante: um plano de recuperação do comércio. Temos que fazer um plano de atração das indústrias, para trazer geração de novos negócios, a indústria emprega muito mais gente e paga muito melhor. E esse trabalhador que vem consumir no comércio. Então são dois planos, a atração de novos negócios e a recuperação do comércio, passando por cada bairro, criar um centro comercial valorizado, padroniza o mobiliário urbano, cria facilidade de estacionamento e incentiva o morador local a consumir ali.

A outra proposta tem relação à educação. Infelizmente esse ano os nossos jovens e crianças passarão de ano de forma compulsória, sem ter estudado. Lá na frente, esses jovens vão competir e ficar à margem no mercado de trabalho. Mas nós vamos interromper isso. Ano que vem vamos colocar tempo integral na escola e vamos dar todo conteúdo programado que esse ano não foi dado. Ao invés de uma merendinha, quatro refeições. E depois, a partir de 2022, a escola do futuro, formação de mentes empreendedoras e profissões voltadas à tecnologia.

Na segurança, uma segurança digital, câmeras inteligentes. Não o que foi feito, câmeras que podem até estar filmando o ilícito acontecendo, mas o crime já foi feito, as imagens só vão servir para tentar procurar o criminoso. Hoje já é possível saber onde o crime vai acontecer, já tem cidades no Brasil fazendo isso acontecer.

Como foi feito o enfrentamento à pandemia em Santo André?

Um desastre. Usaram a pandemia para fazer contratos de forma muito suspeita, a polícia federal esteve aqui na cidade por duas vezes. Outro exemplo da maldade que foi feita: a aposta de montar um Hospital de Campanha dentro de um campo de futebol, a um preço absurdo. Por que não atravessar e rua, e pedir uma parceria com o Clube Atlético Aramaçan que tá fechado desde o início da pandemia? Seria bem melhor. Parece que aqui o negócio é se gastar muito para ter muito rolo. Santo André é a campeã de mortes no Grande ABC, deixaram de cuidar da saúde preventiva, as pessoas chegaram ali frágeis, sem resistência, adoeceram e não tinha nada decente além de uma tenda montada num descampado em um campo de futebol.

Quais são os desafios para os próximos anos?

Colocar Santo André no lugar onde ela já esteve. Trazer um ambiente de inovação, tornar a cidade atrativa, vender Santo André para o mundo. Um comércio pujante, já fomos um grande celeiro industrial, tá lá no nosso hino. É fazer essa recuperação, e eu sei que dá pra fazer, eu estive lá durante 14 meses. A politicagem que está sendo feita é de destruir a nossa cidade. Endividamento lá nas alturas, para depois tirar do seu boldo através de mais impostos, mais taxas. Precisamos gerar negócios, trazer negócios e oportunidades. É só criar o ambiente que a indústria vem. Então o grande desafio é criar um ambiente de negócios para gerar riqueza, valor, uma economia pujante, trazer os empregos de volta, para que a cidade volte a ser aquilo que já foi.

Hoje, por conta da pandemia, o que é prioritário: saúde, educação ou economia?

Tudo junto. Precisamos fazer a saúde corretiva, porque ninguém fez a preventiva, temos que cuidar de quem está doente, não tem jeito. Acabar com os contratos de roubalheira, com os escândalos. Tem que cuidar da economia de forma urgente. O atual prefeito está gastando 100 milhões em propaganda. Vamos fazer uma economia de funcionários comissionados que você tá pagando, sabe quanto? Mais de 200 milhões de gente que não está fazendo nada a não ser bater palma na rede social. São 300 milhões economizados que vamos injetar diretamente no comércio e no bolso das pessoas. O bom de tudo isso é que tem jeito pra ser feito. Na política infelizmente o candidato se elege devendo a composições políticas que ele faz, e então tem que ratear o governo dele inteiro com esse meio político. Nós não vamos ficar devendo nada a composições políticas, nem a empresários.

Em termos eleitorais, como o senhor enxerga o cenário político em Santo André?

Com muita felicidade. A verdade vai vencer a mentira. Estou apanhando muito esses dias. Tem um jornal que me escolheu. Hoje, me deparei com o mesmo jornal, com três matérias falando de mim, isso tudo é uma prova de que estamos muito bem, chegou a nossa vez. Nós vamos fazer a troca. Já estamos no segundo turno. Santo André terá um novo comando, e vamos governar para os comerciantes, para quem trabalha, não teremos alianças escusas.

Comente aqui