Data: 19/05/2022 19:00 / Autor: Janaina Pereira / Fonte: Secom/PMSBC

Fundo Social de Solidariedade de SBC capacita gestores de entidades do terceiro setor

Iniciativa “Somos + Solidariedade” engloba aprimoramento técnico e estratégias de captação de recursos e gestão das instituições


Crédito: Gabriel Inamine/PMSBC

O Fundo Social de Solidariedade de São Bernardo acaba de lançar ação de formação aos líderes das entidades cadastradas junto ao órgão, com objetivo de oferecer uma imersão nas técnicas de apresentação de projetos, gestão de recursos, prestação de contas, entre outros elementos para, assim, torná-las mais preparadas, em especial, durante o período de pandemia. A partir do acesso a mais informações e elementos, essa formação objetiva, ainda, tornar cada entidade mais capacitada para enfrentar os desafios do terceiro setor e contribuir para desenvolvimento de parcerias em diferentes segmentos. O 1ª encontro do “Somos + Solidariedade” contou com a parceria do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Fábrica de Cultura 4.0 - Bruno Covas e Padaria Kennedy.

“Essa iniciativa dialoga diretamente com as demandas atuais das entidades que, diante da pandemia e dos desafios socioeconômicos, buscam novos caminhos para retornar às atividades que realizam nos territórios onde estão sediadas, em prol daqueles que mais precisam e buscando o desenvolvimento local", reforça Greici Picolo Morselli, presidente do Fundo Social de Solidariedade.

SOB MEDIDA – Para tornar a Formação próxima dos desafios das entidades, o consultor Caio Cesar Massao Ito, do Sebrae, formatou os temas “Elaboração de Projetos” e “Divulgação e Vendas no Terceiro Setor” a partir de uma imersão feita em ONGs diferentes, assistindo aos fluxos e desafios, assim, propiciando engajamento aos mais de 90 diretores e técnicos que acompanharam essa primeira aula.

Já a executiva Lilian C. Fernandes, parceira do Sebrae, com vasta experiência no setor à captação e gestão, com passagens pelo setor de Saúde e outros do mercado, explicou sobre emendas parlamentares, doações a partir de notas fiscais e sobre investimento da iniciativa privada, cada vez maior, em ONGs, seja por programas ao voluntariado ou por isenções à Receita Federal. Para Caio Ito, essa formação foi uma oportunidade para ele também. “É a primeira vez que vemos uma movimentação desse tipo, ligado a um Fundo Social de Solidariedade. Para propor um plano de ação a essas entidades, tive de imergir nesse universo, me sinto honrado pelo convite do Fundo em São Bernardo”, comentou.

Contando com quatro encontros, além de duas visitas técnicas, o “Somos + Solidariedade” foi criado a partir de pesquisa implementada pelo Fundo junto às entidades cadastradas, nos últimos anos, extraindo as principais dúvidas e desafios de seus gestores. Por meio de parcerias junto à iniciativa privada, foi possível formatar os temas mais demandados para essa formação personalizada.

“O terceiro setor está se transformando para estar bem além de doação simples, dedutível no Imposto de Renda para se sedimentar no dia a dia das corporações. Isso é positivo, pois nos permite explorar opções de parceria em diferentes frentes ou em diferentes momentos, junto a uma empresa ou a um pool delas. Contudo, torna-se regra reforçar nas apresentações, estratégias e execução dos projetos os mecanismos de transparência e da entrega social, ou seja, mostrar o impacto social do que se faz, levar a marca e a essência do parceiro também consigo, como marketing e como atitude”, evidenciou Lilian que, além de tirar diversas dúvidas sobre custeios, formato fiscal às parcerias, também compartilhou experiências de mercado para apoiar o conteúdo aos participantes.

Comente aqui